19 de ago de 2012

da dura poesia concreta de tuas esquinas.

praticamente uma semana depois, parcialmente descansada e livre das obrigações que me afligiam no post passado, venho apenas dizer: a viagem pra são paulo foi linda, porra!
gostaria de contar todos os detalhes, dos mais singelos aos mais sórdidos. mas daí não teria assunto pra falar, quando estiver sentadinha tomando chá na minha caneca nova, escrevendo minha autobiografia (risos).


no total, fomos 32 pessoas, entre estudantes de letras, história, professores e cônjuges. todos sacolejando no ônibus, assistindo algum filme ruim de ação. mas que todo mundo viu até o final, e gritava quando um dos monitores desligava sozinho.
cheguei em são paulo numa sexta de manhã bem ensolarada, fui embora num domingo a tarde igualmente ensolarado. nesses três dias, visitei o museu do ipiranga (só por fora, preferi deitar na sombra e esperar a galera), almocei no mercadão municipal, visitei o MASP, gastei 6 reais numa corrida de taxi, (re)vi amigos paulistas (alguns, vi pela primeira vez depois de anos de amizade virtual), fumei um cigarro na avenida paulista, comprei um isqueiro na galeria do rock, visitei o museu da língua portuguesa, passeei pela pinacoteca, fiquei presa no elevador do hotel com mais 4 pessoas, acordei meu andar inteiro rindo loucamente dentro do quarto, visitei a bienal do livro, comi pizza na bienal do livro, comprei quadrinhos na bienal do livro, quando chorei quando comprei "persépolis" na bienal do livro, encontrei o carlos ruas e mal conseguia parar em pé quando cheguei em casa.




demorei três dias pra desfazer minha mala.
mas entreguei todos os trabalhos em dia e, agora que tudo já passou, deu aquele gostinho de quero-mais-na-próxima.