1 de jan de 2014

hoje foi um dia bom.

Definitivamente bom.
Estamos em mais um processo de mudança; três casas em 3 anos não é para qualquer um. Enquanto coloco tudo em ordem, numa calma assustadora, penso nas milhares de possibilidades que esse novo ano traz consigo.
Hoje, estamos numa casa dos sonhos: espaçosa, fresca, simpática. Estamos todos em bons momentos. Estamos, eu e moisa, na doce amargura que os 30 anos traz pra gente. Uma dose de resignação com indiferença, ao mesmo tempo uma convicção na bagagem da maturidade. Estamos calmos, sabemos o que queremos.
Raramente fico otimista como estou na virada. Sempre digo, especialmente a mim mesma, que tudo é continuaçäo e não recomeço. Isso nunca fez tanto sentido.
Ainda assim, não posso deixar de relembrar que 2013 foi um ano incrivelmente intenso. Isso merece um post exclusivo. Pois um ano INTEIRO regado a sangue, suor e lágrimas não deve ser ignorado. Mas depois, o farei com calma.

Agora, deitada num colchão da cama compartilhada no chäo do quarto do meu filho não é digno.
Estou escrevendo no teclado qwerty do meu celular usando a internet da TIM enquanto autran briga com o sono pra dizer que esse primeiro dia do ano foi delicioso. Foi calmo. Foi previsivel. Foi leve. Espero que ele seja um reflexo do que meus dias serão daqui pra frente. Pois depois da tempestade que foi 2013, em 2014 eu espero calmaria.

Calmaria ao lado da minha filha pré-adolescente e sua preocupação genuina acerca de absorventes, espinhas e adolescência, ao lado do meu filho bebê e sua missão secreta na terra, que consiste em babar em todo colo possível e ser fofo 24/7, e ao lado do moisa, pra ter certeza a cada segundo que eu fiz as escolhas certas na vida.

Estou otimista e esperançosa.
Como nunca antes.

Feliz ano novo!