28 de jan de 2014

rocking my world for the past 6 months.


chegamos ao marco de seis meses de vida!
seis meses de amamentação exclusiva.
seis meses de cama compartilhada.
seis meses de muito apego.

autran é um exímio rolador.
girou pela primeira vez dia 1 de dezembro de 2013. hoje é capaz de atravessar um cômodo rolando.
nessas manobras, já o flagrei lambendo o chão, mascando o fio do ventilador e mordendo um chinelo.
ele levanta o corpinho pra se jogar pra frente, mas o que faz com maior destreza é se arrastar pra trás.
ainda não é firme ao sentar-se. aliás, essa habilidade será complicada. ele não gosta de sentar. prefere ficar em pé, segurando em um apoio, ou deitado de bruços. quando vou colocá-lo sentado, ele esticas as perninhas. só forçando para dobrá-las.

autran adora um colo.
pode ser de quem for, se está no colo, está tudo ótimo.
raramente estranha pessoas. gosta de ser jogado pra cima, de que pulem com ele no colo. deve sentir-se numa montanha-russa.


autran vocaliza duas consoantes: o "d" e o "b".
de vez em quando, é um tal de dididididi e babababa que não tem fim. morro de amor.
adora tomar banho. adora passear no sling. adora seu mordedor rosa.
odeia cobertor e ficar no carrinho.
já tem seu ciclo circadiano definido há bastante tempo.
dorme bem à noite, exceto em fases de pico de crescimento.
sua necessidade de sucção caiu consideravelmente, o que me faz lembrar que há quase dois meses perdemos a "chupeta de emergência" e não compramos outra. autran é 100% chupeta free. yey!

autran já experimentou melancia e maçã, mesmo não tendo dentes.
sua introdução alimentar está sendo inciada pelo método BLW, guiado totalmente pelo próprio bebê com alimentos servidos aos pedaços para comer com as mãos.

continuo não levando-o ao pediatra. e continuo achando que não precisa.
autran é um bebê saudável, que cresce a olho nu. roupas M não servem mais. suas dobras e meus braços afirmam com veemência que ele está ganhando peso.

não sei quanto pesa ou quanto mede. e acho que isso prova meu total desapego às tabelas que fazem mães se desesperarem por seus filhos não se encaixarem em um padrão. cobrando dos pequenos desde tão cedo, sociedade?


até que ele não mudou muita coisa... :)

autran enche nossos dias com risos e choros, com exigências e demandas, com conquistas e paixão.
me é impossível imaginar a vida sem ele.

seis meses; tão pouco tempo, tão transformador.

19 de jan de 2014

as time goes by.

já não faço mais promessas pro blog.
ás vezes eu até falo "vou falar depois sobre isso" e, claro, acabo não falando. daí passa muito tempo, e eu fico com vergonha de continuar falando como se não tivesse um espaço de 7 meses entre os posts. não sei o que é pior, nesse caso.

tenho milhões de posts na cabeça.
queria muito mostrar como anda o quarto montessoriano do autran. todo o processo de montagem e os objetivos. porque agora, finalmente, ele tem um quarto só pra ele.
ainda fazemos cama compartilhada. joguei um colchão de solteiro do lado do colchãozinho dele e as (muitas) mamadas noturnas continuam em estado de semi-sono.


no momento, é só disso que precisamos :)

e não somente o quarto, mas as atividades também. autran passou da fase visual e está no estímulo tátil, que pra mim é o mais interessante.
tenho fotografado e partilhado no instagram, mas não é a mesma coisa...

também queria falar das fraldas de pano. muita gente vem me perguntar sobre elas, se compensa, como cuidar, como funciona, se dá trabalho... até comecei a fazer uns videos pra facilitar hah

também queria fazer aqueles posts mensais que acompanha o crescimento do bebê. desses que toda mãe zelosa faz, contando as novidades, as conquistas, as medidas, acompanhado de fotos lindas e encantadoras. eu nunca consegui fazer o do autran.
óbvio que já pensei, já escrevi mentalmente, mas não consigo, simplesmente não consigo.
e pegando esse bonde, queria falar de como é a vida com um bebê high need.
durante o dia eu não posso, durante a noite eu só quero deitar e assistir meu seriado no ipad.

também queria falar da vida com duas crianças em casa.
queria falar da casa nova. da vida nova.
queria falar do ano de 2013 que foi tremendo...
até cheguei a começar a separar algumas fotos pra uma retrospectiva visual.

a vida corre, logo o autran começa a comer e eu sequer falei das leituras que fiz sobre introdução alimentar montessori x blw...

*sigh*

1 de jan de 2014

hoje foi um dia bom.

Definitivamente bom.
Estamos em mais um processo de mudança; três casas em 3 anos não é para qualquer um. Enquanto coloco tudo em ordem, numa calma assustadora, penso nas milhares de possibilidades que esse novo ano traz consigo.
Hoje, estamos numa casa dos sonhos: espaçosa, fresca, simpática. Estamos todos em bons momentos. Estamos, eu e moisa, na doce amargura que os 30 anos traz pra gente. Uma dose de resignação com indiferença, ao mesmo tempo uma convicção na bagagem da maturidade. Estamos calmos, sabemos o que queremos.
Raramente fico otimista como estou na virada. Sempre digo, especialmente a mim mesma, que tudo é continuaçäo e não recomeço. Isso nunca fez tanto sentido.
Ainda assim, não posso deixar de relembrar que 2013 foi um ano incrivelmente intenso. Isso merece um post exclusivo. Pois um ano INTEIRO regado a sangue, suor e lágrimas não deve ser ignorado. Mas depois, o farei com calma.

Agora, deitada num colchão da cama compartilhada no chäo do quarto do meu filho não é digno.
Estou escrevendo no teclado qwerty do meu celular usando a internet da TIM enquanto autran briga com o sono pra dizer que esse primeiro dia do ano foi delicioso. Foi calmo. Foi previsivel. Foi leve. Espero que ele seja um reflexo do que meus dias serão daqui pra frente. Pois depois da tempestade que foi 2013, em 2014 eu espero calmaria.

Calmaria ao lado da minha filha pré-adolescente e sua preocupação genuina acerca de absorventes, espinhas e adolescência, ao lado do meu filho bebê e sua missão secreta na terra, que consiste em babar em todo colo possível e ser fofo 24/7, e ao lado do moisa, pra ter certeza a cada segundo que eu fiz as escolhas certas na vida.

Estou otimista e esperançosa.
Como nunca antes.

Feliz ano novo!