16 de dez de 2013

chatting.

eu aprendi que parto normal REALMENTE não é pra todo mundo.
parto te vira do avesso, psicologicamente. o físico é o de menos. as pessoas se prendem à dor, mas a dor do parto é a última das coisas que você deve se preocupar. é suportável, teu corpo jamais te daria algo que você não poderia lidar. ele é inteligente. milhões de anos de evolução ensinaram isso pra ele. uma rápida pesquisa ou uma conversa com uma boa doula e um olhar mais "pragmático" e você entende isso.

o lance é mais embaixo. o parto acontece mesmo dentro da cabeça.
a mulher contemporânea, classe-média, independente, tem muuuuito esqueleto no armário. muito trauma inconsciente, muitas necessidades, aflições, carências. e ela se nega a olhar pra tudo isso. ou porque não tem tempo, ou porque não quer, ou os dois. somos muito cobradas e menosprezadas ao mesmo tempo.
num parto, tudo isso é jogado no seu colo.
parir não é somente dor e sofrimento físico, o emocional é infinitamente mais violento.
por isso que tem mulher que tem um parto lindo, rápido, maravilhoso, e outras tem aquele parto difícil, demorado, sofrido. tudo isso depende da bagunça dentro de si.

hoje, meses depois, eu fui entender porque o meu demorou tanto. eu não escrevi tudo que realmente aconteceu ou sentia no relato. tem coisa que eu só guardo pra mim. se você se recorda, eu fiquei com 7cm de dilatação e bebê alto por horas seguidas, e a coisa só foi se desenrolar quando eu fui pro chuveiro e chorei.
eu achei, durante a gravidez inteira, que eu teria que resolver coisas sobre minha cesárea e a criação da luana pra poder parir tranquila.
mas eu estava errada.
eu sou muito bem resolvida quanto à cesárea. meu problema era minha relação com a minha família. eu engoli muito choro na frente deles, a minha busca pelo parto natural humanizado era TÃO solitária e TÃO angustiante que eu pensei em desistir várias vezes. e ás vezes eu queria chorar as pitangas, ou compartilhar alguma coisa com alguém além do moisa. mas eu não tive nada disso.
minha mãe é terminantemente contra parto normal, nem minha experiência mudou a opinião dela.

e eu percebi isso, que minha "trava" era outra, porque foi depois da minha mãe entrar no quarto, me fazer massagem e me abraçar, que a coisa fluiu. eu fiquei mais de 4 horas sem progresso algum. quando minha mãe saiu do quarto, deu 20min e o autran nasceu.
eu vi que não estava abandonada como parecia. porque era justamente isso que eu sentia: abandono.
abandono por parte dos meus pais.

e te prepara, que depois do parto você vai se sentir capaz de QUALQUER COISA. é realmente um rito de passagem. toda mulher deveria passar por isso, sério. nossos conceitos, crenças, concepções, tudo muda.
a gente cria uma coragem que vem lá do âmago. fica bem animalesca mesmo, heh.
eu achei que a maternidade tinha me deixado mais forte, mas foi depois de toda essa experiência que eu vi a força que eu tenho, a força que meu corpo tem. que eu e meu corpo somos capazes de geral, parir e nutrir, naturalmente.
isso NINGUÉM vai tirar de mim. nunca mais.