22 de dez de 2012

upcoming move.


eis a nova visão da janela da sala do nosso novo lar.
pelo menos nesse próximo ano.

quando o dono da casa atual pendurou, sem nos avisar, uma placa handmade com os dizeres VENDE-SE, eu já comecei a sofrer. porque sei o calvário que é conseguir alugar um imóvel por essas bandas. primeiro porque ninguém fica entrando e saindo de casas e apartamentos aqui, a não ser que sejam estudantes. estudantes moram em 40 pessoas em uma casa razoável ou moram sozinhos/em dupla em apartamentos de 4 m².
nós precisamos do meio-termo.
a correria de ir, ligar, encher o saco de imobiliárias, todos os dias olhando jornal, ligando pra potenciais imóveis, tirando fotos, discutindo em casa se compensava a localização, preço, tamanho, etc.

achamos esse. e assim que eu entrei, eu me apaixonei.
tão perto da universidade/escola da luana que dá até vontade de chorar. quartos amplos. dois banheiros. uma sacada com rede de proteção. lavanderia ampla. quarto de depósito. outra sacada pra pendurar roupa e afins.
liguei imediatamente pro moisa, ignorando os contras (na beira da avenida movimentada, lugar ermo, calçada destruída devido à reforma da avenida, prédio antigo, etc). ele foi ver no mesmo dia.
o moisa é mais racional que eu. pensou em tudo, e em como resolver. no final, até porque o apartamento por dentro é uma delícia, decidimos ficar.

ao mesmo tempo que me animo com a mudança, sinto um leve desespero.
com uma gravidez no início, todo cuidado é pouco.
tem chovido mais do que o normal ultimamente.
mudanças destroem móveis e eletrodomésticos aos poucos, eu sei bem disso.
por tudo em caixa, tirar tudo de caixas.

tudo aquilo novamente.

20 de dez de 2012

pieces of luana IV.

- lua, o que você quer de natal?
- promete que não vai ficar brava comigo?
- ...
- eu quero a polly pocket que anda de patinete.

andamos conversando dias atrás, e a elogiei (de alguma forma) por "estar mocinha e não brincar mais com bonecas".

18 de dez de 2012

born like this - into this II.


parte I
nós nascemos assim
dentro disso
dentro dessas cuidadosas guerras malucas
dentro do vazio de janelas de fábricas quebradas
dentro de bares onde as pessoas não conversam mais entre si
dentro de primeiras brigas que terminam em tiros e facadas

dentro disso
dentro de hospitais que são tão caros
que é mais barato morrer
dentro de advogados que cobram tanto
que é mais barato assumir a culpa
dentro de países onde as cadeias estão cheias
e os sanatórios fechados
dentro de lugares onde a massa transforma
idiotas em ricos heróis.

nós nascemos dentro disso
caminhando e vivendo em meio a isso
morrendo por isso
mudo por isso
castrado
corrompido
deserdado
(charles bukowski)

15 de dez de 2012

hello daddy, hello mom - here comes our cherry-bomb.

apenas 20 milímetros. esse é o tamanho do bebê que você carrega no fim do seu segundo mês de gestação. ele continua minúsculo - menor do que um feijãozinho -, mas o crescimento está a todo vapor. a barreira placentária já é bastante eficiente, selecionando tudo o que chega ao embrião. o baço, a traqueia, a laringe e os brônquios começam a tomar forma. a pontinha do nariz e as dobras das pálpebras acabam de aparecer, delineando as feições. ele já tem ombros e os braços cresceram um pouco.
também estou zonza, processando todas as informações.

semana passada decidimos fazer um teste de farmácia. meu humor andava inconstante demais, muito sono, muita indisposição, cansaço, tontura, menstruação atrasada... não deu outra: positivo.
chorei. chorei. chorei.
minha primeira reação foi ter ficado brava comigo mesma. eu tomava pílula, mas não tinha controle absoluto. se engravidei, é porque falhei.

sem desespero. respira fundo e aguarda pra consulta com um obstetra, um exame de sangue. maior certeza e tudo mais. vai que era um falso-positivo, né?
mas, veja, talvez o psicológico seja uma coisa bem filha-da-puta, ou apenas a coincidência que seja filha-da-puta. dois dias depois do exame de farmácia, fui a uma pizzaria com o moisa, luana e um casal de amigos. duas fatias e uma água com gás depois, eu sentia uma vontade louca de vomitar. como se eu tivesse comido uma pizza inteira sozinha. cheguei em casa, bebi o que pude de água gelada e deitei. à partir desse dia, eu tenho sentido enjoos constantemente, o dia inteiro.

é claro, o exame de beta-hCG deu positivo. chorei mais um pouco no telefone com o moisa. não sei porque minha reação é sempre pensar no lado ruim das coisas. porém, o entusiasmo de família, amigos e, principalmente, do moisa e da luana me abriram os olhos, a mente e o coração. tanto que, agora, boa parte do tempo que passo na internet, é pesquisando sobre estágios de gravidez e que tipos de alimentos contém este ou aquele nutriente. até porque eu passei as primeiras 7 semanas fumando e não tendo uma alimentação muito exemplar heh.

o médico ainda havia pedido mais um exame, um ultrassom, pra ter certeza absoluta que eu estou mesmo grávida. com esse sono, esse humor e esses enjoos, quer mais ainda?
fiz o bendito hoje de tarde e eis a terceira confirmação: sim, estou grávida.
vi na telinha cheia de riscos, um amontoado de pontinhos brancos que juravam ser meu bebê. pude ouvir o coração batendo, parecendo um motorzinho.
é bem estranho, porque quando fiquei grávida da luana, a gestação já estava avançada quando descobri (22 semanas heh) e no primeiro ultrassom dava pra ver tudo direitinho, inclusive saí de lá sabendo que era menina.

pra ser sincera, tudo está sendo diferente agora.
o mal estar, a indisposição, o sono, o cansaço, os vômitos, nojo de tudo. nada disso eu tive antes. agora pareço estar numa fadiga interminável. espero que isso passe, junto com o primeiro trimestre.
e que, daí sim, eu me sinta realmente grávida. e então começar a melhor parte. a que eu mais gosto e aguardo :)
em breve, sua cintura vai se expandir e você vai notar outras mudanças no corpo. os cabelos ficarão mais brilhantes. já a pele, apesar da aparência viçosa, tem sua pigmentação aumentada, o que pode ocasionar o surgimento de manchas, especialmente na região do rosto. o intestino, por outro lado, pode desacelerar seu ritmo de trabalho. o estômago também passa a produzir maior quantidade de ácido clorídrico nesta fase, causando uma incômoda queimação.
eita!